.

Statement

O ambiente urbano e nossa interação com esse espaço construído ou visitado: aquele em que eu transito, distraído ou preocupado, no dia a dia. Sua repercussão em minhas lembranças e afetos, o que fica na memória e o que vira mancha na janela, imperceptível, indistinguível e esquecido. O público, o privado e o que está no meio.

Há um certo caos que ninguém controla. Nas cidades, por onde a gente passa, no nosso trabalho de cada dia, em casa. De um ângulo diferente podemos ter descobertas incríveis. Tanto lá fora, nas cidades, como dentro da gente. É esse espaço que me interessa.

A pesquisa artística acontece a todo momento e é preciso um olhar atento mas desconectado. É o início do processo artístico, que depois exige uma solidão no atelier. É lá que a coisa acontece. Com a arte, especialmente a pintura, o tempo para. Nada mais existe lá fora.

Bio

Fabio Pedrosa viveu em Maceió, Rio de Janeiro e no Distrito Federal. Graduou-se em Comunicação Social na Universidade de Brasília. Estudou desenho e pintura de forma independente, também em São Paulo e Lisboa. A experiência em jornalismo e o interesse em design gráfico, arquitetura, mobiliário, moda, publicidade, cinema trazem influências diversas em seu trabalho.

A vivência pessoal de morar em várias cidades desde os 19 anos de idade abriu horizontes e criou uma relação pessoal e afetiva com ambientes mesmo desconhecidos, pela singularidade e pelo reconhecimento de uma “pegada humana” em todos os lugares. A percepção de um “rastro” de gente, como algo de comum em todo lugar urbano: a nossa experiência humana.

Uma máquina fotográfica, digital mas antiguinha é sua companhia frequente que viabiliza, de forma recorrente, o registro de uma observação muito pessoal da cidade. Muitas vezes é a abstração decorrente da memória, quem cria a atmosfera do que será interpretado pictoricamente. Com a pintura em óleo sobre tela Fabio Pedrosa explora a materialidade da tinta, sua espessura e veios criados pelo pincel viram complemento e expressão.

A pesquisa da série de pinturas “Concreto” caminhou naturalmente para os pequenos formatos, multiplicando a possibilidade de registros, rearranjos e configurações, mas nada é imposto de antemão. Reunidas, as pinturinhas criam um ambiente de impressões bem particular.

obras

Escada

OST. FabioPedrosa. 40x40. BSB, 2019