.

Statement

A partir da reflexão sobre a fragilidade e a agressividade que cercam alguns materiais, interessa-me descobrir como esses opostos podem coexistir ao se apresentarem como um dado de sensação, o qual é a própria obra. Considero o corpo como um elemento que suscita questões sobre a fragilidade da matéria e por isso realizo experimentações com diferentes materiais que problematizam o corpo vivo e orgânico, seja pelo viés da agressividade ou da própria fragilidade. Considero meu próprio corpo como um elemento delicado, mas o qual dependendo da ação torna-se um corpo que expressa hostilidade, seja pelo excesso de materiais utilizados ou o acúmulo de movimentos bruscos. Tenho pesquisado sobre os processos de criação em artes através da corporeidade e da materialidade, resultando em trabalhos de performance, fotografia, vídeo, instalação e objeto.

Bio

Mestranda na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo em Artes Visuais. Possui pesquisa na área de Teoria e História da Arte Moderna e Contemporânea, Performance e Processos Criativos. Participou de exposições e mostras no Brasil e no exterior, como no Instituto Tomie Ohtake, nas Caixas Culturais do Brasil, na Academia de Teatro de Helsinki, no Centro Le Lieu en Art Actuel, Canadá, no Núcleo Arts Centre, Reino Unido, no Centro Cultural Manzana de la Riviera, Paraguai, entre outros. Trabalha como arte educadora através de dinâmicas e projetos independentes que agregam diferentes grupos etários, como crianças a partir de 3 anos e pós-graduandos na área de artes e afins. Como produtora cultural e coordenadora, atuou em diversas exposições coletivas, festivais e acompanhamentos artísticos

OBRAS

Uma criatura dócil, performance, 2020