Statement

As paisagens íntimas são as que me encantam. O interior de uma casa, com seus cantos e objetos, compõe tanto a arquitetura estrutural do espaço, quanto a arquitetura particular de cada indivíduo. As paredes domésticas compõem junto aos artefatos acumulados ao longo da existência e assim o corpo se torna onipresente nessa esfera infinita da vida privada. O corpo está em discussão, mas sem expor sua forma.  

Para esta captura de paisagens do interior, lanço mão do meio que me é mais caro, a pintura. A representação pictórica me permite atingir a sensação da infinitude da experiência do ser humanojustamente por se formar por meio do embate entre a percepção do meu inconsciente com o exterior, com o que está fora de mim. Ao representar a realidade material do outro, produzo a minha própria existência, expondo minha linguagem carregada de marcas. As formas e as cores da pintura são a prova material da realidade afetiva do morar. 

Bio

Em sua produção, Lina Cruvinel se dedica a investigar espaços domésticos, como uma voyeuse, curiosa em observar a arquitetura íntima construída por quem a habita. Com intenção de capturar a atmosfera dessas moradas, detém-se pictoricamente na relação entre as cores e as formas, buscando provocar sensações em si e no espectador. 

Pintora que vive e trabalha em Goiânia, é Bacharel em Artes Visuais pela Universidade Federal do Goiás-UFG. Participou da residência artística no Berlin Art Institute (2016); 23º Concurso Sesi Arte Criatividade, Vila Cultural Cora Coralina (2017); Programa Trampolim – mergulho para jovens artistas, que resultou na exposição, Um corpo no ar pronto pra fazer barulho, MAC/GO (2018); 44º SARP – Salão de Arte de Ribeirão Preto Nacional Contemporâneo, Museu de Arte de Ribeirão Preto – MARP (2019). 

obras

Lina Cruvinel. Sem título. 2018. Acrílica sobre tela. 120 x 70 cm.

Foto: Paulo Rezende