.

Statement

Este projeto faz parte de uma série maior de trabalhos produzidos por mim e já realizados entre 2002-presente. O meu corpo é a tecnologia que encontrei para presentificar-me no espaço e desenhá-lo. A proposta consiste em uma ação performática na qual ocuparei um espaço definido pela curadoria com um desenho da topografia da cidade de Porto Alegre. O desenho, realizado em  grande escala, conta com referenciais reais topográficos e com um estudo minucioso dos mapas e imagens de satélite do local. A partir deste estudo e de algumas projeções e traçados iniciais realizados no espaço, começo a traçar, de memória, a geografia do local e, neste processo,  modifico-a. A geografia de Porto Alegre e sua topografia passam a ter como referência a minha percepção a partir destes instrumentos cartográficos: traça-se uma psicogeografia minha. O espectador é convidado a observar a performance e, ao mesmo tempo, a caminhar sobre estas linhas, imerso livremente no espaço. A escala do mapa absorve tanto aquele que visita a mostra quanto a artista: sugere-se uma espécie de mergulho na abstração do espaço e, ao mesmo tempo, nas memórias vividas naquelas topografias. O registro da ação será realizado em tempo real por câmeras de vídeo [grande angular] acopladas no teto. Este material será editado e disponibilizado ao final da realização da performance no espaço expositivo. Ele formará outra camada de significado pois, assim como os mapas, estaremos diante de outras imagens virtuais do espaço, cuja escala também se modifica diante do espectador. 

Bio

Claudia Vieira nasceu no Brasil e vive e trabalha na cidade de Nova York desde 2002. Seu trabalho foi exposto no Queens Museum of Art, El Museo del Barrio, Sculpture Space, o Islip Art Museum, a Rotunda Gallery, Praxis Gallery, Art Helix, o Brooklyn International Film Festival entre outros em Nova York. Expôs seus projetos internacionalmente no Kyoto Arts Center, no Japão, Kunthaus Malmo, na Suécia, Kunthaus Bethanien, na Alemanha e no Brasil na Galeria Vermelho, no Festival Internacional de Performance / VERBO em São Paulo e nos Museus de Arte Moderna / MAM em Salvador e no Rio de Janeiro. Recebeu a bolsa NYFA Urban Artists Fellowship e o Prêmio FUNARTE Projeteis de Arte Contemporânea da Fundação Nacional para as Artes / Ministério da Cultura do Brasil. 

obras

Gardens of Delight 

Pratt Institute | Nova Iorque, EUA - 2002