.

Statement

Os anos trabalhando com as histórias que as roupas contam através da vida das mulheres me levaram a inúmeras experimentações dentro do universo da Arte educação, onde a linha que bordava o remendo era a condutora do processo de ressignificação de memórias. Esse exercício de revisão de histórias alheias e resgate de ancestralidades acabou se tornando um retorno ao meu próprio ofício manual primeiro, o desenho. Retrato o fluir dos movimentos capturados em fotos tremidas e imagens não posadas, momentos que chamo de pequenas impermanências. Vejo nas fotografias imperfeitas e não editadas os retratos de quem realmente somos, onde lugares e pessoas mostram sua verdadeira natureza cíclica e mutável. Partindo desse acervo de fotografias, na maioria fotos analógicas tiradas por mim ou de família, crio desenhos em lápis de cor, grafite e nanquim. No processo, estes por vezes acabam sobrepostos de camadas de novos desenhos em papel vegetal e bordados, que da mesma maneira que os remendos das roupas, refazem nessas imagens algo que já não estava mais lá, que já havia puído, manchado e mudado com o tempo. Como resultado, em obras de técnica mista, a sobreposição de camadas de desenhos e linhas funciona como as inúmeras faces que vestimos e despimos, a transitoriedade e o desvanecer de identidades para o surgimento de outras.

Bio

Thais Ribeiro é artista plástica, nascida e criada no subúrbio do Rio de Janeiro. Atualmente vive e trabalha em São Paulo. Formada em Design de Moda e pós graduada em Artes Visuais com ênfase em Educação, atuou por 12 anos no mercado de estamparia e ilustração de Moda. Desde 2015, pesquisa a arte têxtil e a ressignificação de roupas como veículo de educação e resgate das relações das mulheres com suas histórias. Essa pesquisa acabou levando-a de volta ao seu trabalho de desenho do início dos anos 2000, que sempre teve a observação do transitório no cotidiano de pessoas e lugares como linha narrativa. Trabalha a partir de fotos analógicas de acervos de família, recriando lembranças e memórias perdidas em obras que mesclam desenho, pintura e bordado sobre papel.

 

obras

Estudantes, 2021

Lápis de cor sobre papel vegetal. 12,8 x 27 cm